Novidades Editoriais | De 2 a 9 de Fevereiro de 2018 | Chiado Books

 

Podem consultar todas as novidades aqui (descarreguem o pdf).

Boas Leituras!

Anúncios

Sugestões para o dia dos Namorados – Jacarandá

Seguem as sugestões que a Jacarandá tem como oferta para o Dia dos Namorados 😉

Para mais informações basta clicar nas fotos 😉

Uma Divulgação 

[Divulgação] Antes de Sermos Vossos de Lisa Wingate – livro no TOP do New York Times – Saída de Emergência


Chancela: Chá das Cinco
Data 1ª Edição: 02/02/2018
ISBN: 9789897103056
Nº de Páginas: 368
Dimensões: [160×230]mm
Encadernação: Capa Mole

Sinopse:

Inspirado em factos verídicos, esta é a história de duas famílias e da terrível injustiça que as mudou para sempre.

Nascida num mundo de riqueza e privilégio, Avery Stafford tem tudo. Filha adorada de um senador americano, com a sua própria carreira como advogada e um noivo maravilhoso à espera em Baltimore, ela vive uma vida encantada.

Mas quando regressa a casa para ajudar o pai com um problema de saúde, um encontro casual com May Crandall, uma idosa desconhecida, deixa Avery profundamente abalada. Ao decidir descobrir mais sobre a vida de May irá embarcar numa viagem pela história oculta de crianças roubadas e adoções ilegais. E cedo irá desvendar um segredo que pode levar à devastação… ou à redenção.

Baseado num dos mais conhecidos escândalos da América — em que uma instituição de adoção vendeu crianças a famílias ricas —, este romance comovente e fascinante recorda-nos como, apesar de os caminhos que tomamos levarem a muitos lugares, o coração nunca esquece onde pertencemos.

Acerca da autora

Lisa Wingate é uma antiga jornalista, oradora inspirada e autora de mais de vinte romances campeões de vendas. As suas obras ganharam ou foram nomeadas para numerosos prémios, incluindo o Pat Conroy Southern Book Prize, o Oklahoma Book Award, o Carol Award, o Christy Award e o RT Reviewers’ Choice Award. Wingate vive nas Montanhas Ouichita do sudoeste do Arkansas.

Podem ler um excerto da obra aqui e comprar aqui.

Vamos dar ínicio às pequenas remodelações…

Curbed_RenovationWeek_Logo-3.1-BHB-FINAL.0

Vamos renovar para inovar 🙂 Vão haver surpresas para os nossos leitores após a renovação! Daquelas que todos gostam 😉

Convidem amigos a seguir o nosso Blog e a nossa página no Facebook 🙂

Opinião – Pecados Santos – Nuno Nepomuceno – Cultura Editora

Pecados-Santos

Sinopse:

Nas comunidades judaicas de Londres e Lisboa, ocorre uma série de homicídios, todos eles recriando episódios bíblicos. Atos bárbaros de antissemitismo ou de pura vingança?Um rabino é encontrado morto numa das mais famosas sinagogas de Londres. O corpo, disposto como num quadro renascentista, representa o sacrifício do filho de Abraão, patriarca do povo judeu.O caso parece encerrado quando um jovem professor universitário a lecionar numa das faculdades da cidade é acusado do homicídio. Descendente de portugueses, existem provas irrefutáveis contra si e nada poderá salvá-lo da vida na prisão.Mas é então que ocorrem outros crimes, recriando episódios bíblicos em circunstâncias cada vez mais macabras. E as dúvidas instalam-se.Estarão ou não estes acontecimentos relacionados?
Poderá o docente vir a ser injustamente condenado?Porque insistirá a sua família em pedir ajuda a um antigo professor, ele próprio ainda em conflito com os seus próprios pecados?
As autoridades contratam uma jovem profiler criminal para as ajudar a descobrir a verdade. Mas conseguirá esta mente brilhante ultrapassar o facto de também ela ter sido uma vítima no passado?
Abordando temas fraturantes da sociedade contemporânea como o antissemitismo e o conflito israelo-árabe, e inspirando-se nos Dez Mandamentos e noutros episódios marcantes do Antigo Testamento, Pecados Santos guia-nos através das ruas históricas de Londres, Lisboa e Jerusalém, numa viagem intimista e chocante sobre o que de mais negro e vil tem a condição humana.

Opinião:

Brilhante. Incrível. Um livro para recordarmos por longos anos…

E o Nuno Nepomuceno fê-lo de novo! Estamos perante a sua nova obra e mais uma vez fiquei completamente absorvida pela qualidade da narrativa.
Estamos presentes uma história completamente viciante, sem pausas, mas também perante um trabalho de investigação rigoroso e presencial que nos leva a uma espetacular lição de história e cultura geral. A rica narrativa gira em torno da cultura judaica, transportando-nos para as raízes da humanidade assim como para todo o conflito infelizmente ainda bastante atual entre Israel e a Palestina. E Homicídio.
Múltiplos homicídios recriados a partir de factos bíblicos em países diferentes mas com origens portuguesas fazem com que o protagonista desta trama (e restantes personagens associadas ao mesmo) seja empurrado a exorcizar antigos demónios e a lutar para que uma profecia não se concretize. Curiosos?

Ao longo de toda a investigação conjunta destes homicídios por parte das autoridades portuguesas, Inglesas, de uma jornalista e do antigo professor Afonso Catalão, somos confrontados com revelações chocantes que nos deixam a respiração suspensa e quando pensamos que já sabemos tudo, enganem-se… que o melhor vem no fim. E que fim!

Adorei os pequenos apontamentos que o autor fez entre esta obra e as suas obras anteriores, criando um sentimento de familiaridade e homogeneidade que o caracterizam.

O final deixa-nos claramente a porta aberta para um possível acompanhamento destas personagens em obras futuras do autor, que eu espero sinceramente que venham a ver a luz do dia.

O autor é simplesmente um dos melhores escritores portugueses no panorama atual. Não tenho qualquer problema em afirmar e a desafiar o mesmo a escrever mais porque quando temos um dom assim, não o podemos desperdiçar, mesmo que a estrada que temos que percorrer seja feita de espinhos.
Recomendo vivamente, assim como as anteriores obras.

5stars

Site Oficial de Nuno Nepomuceno
Cultura Editora

Opinião – Os Três de Sarah Lotz – Saida de Emergência

OsTres

Sinopse:

O dia que nunca será esquecido.
O dia em que há quatro acidentes de avião, em simultâneo, em diferentes pontos do globo.
E três crianças sobreviveram.

O mundo vive atordoado com a trágica coincidência. À beira do pânico global, as autoridades são pressionadas a encontrar as causas que motivaram os acidentes. Com terrorismo e desastres ambientais fora da equação, não parece haver uma correlação lógica, tirando o facto de ter havido uma criança sobrevivente em três dos quatro acidentes.
Intituladas Os Três pela imprensa internacional, as crianças exibem distúrbios de comportamento, presumivelmente causados pelo horror que viveram e pela pressão da comunicação social. Esta pressão torna-se ainda mais intrusiva quando um culto religioso liderado por um ministro fanático insiste que as crianças são três dos quatro profetas do Apocalipse. E se, para mal de toda a Humanidade, ele tiver razão?

Opinião:

Já andava há tanto tempo para ler este livro que quando peguei nele suspirei e disse para mim mesma “É Hoje!”. E não me arrependi. Após muito tempo sem me agarrar a livro algum (Excepto os volumes do “Warcraft Chronicles” que já li duas vezes cada), senti que regressei em grande.

Confesso que logo ao iniciar a leitura senti que ia estar perante uma narrativa cheia de surpresas e nível de interesse em escala, mas nada me preparou para aquilo que realmente li.

Com uma forte componente “sobrenatural” aliada a assuntos muito reais como a influência em massa associada a motivos religiosos e políticos, somos arrastados para uma narrativa diferente em forma de pequenas entrevistas aos intervenientes directos e indirectos do tema principal, a sobrevivência de 3 crianças (apenas essas 3 crianças) em 4 acidentes de avião simultâneos em 4 pontos do Globo sem razão aparente.  Tudo gira em torno dessas crianças e do testemunho antes de falecer de uma passageira de um desses aviões… ou assim pensávamos.

Num instante somos empurrados para uma espiral de decadência humana, social, politica e religiosa e para o verdadeiro flagelo que é o mediatismo exagerado, a busca pela verdade que não quer ser descoberta e aquela pitada de sobrenatural que nos deixa presos até ao fim… mas será que obtemos resposta às nossas perguntas? Depende da interpretação. Depende da forma como abraçamos a leitura do livro. Eu tive respostas, mas fiquei com o sentimento que faltou algo, que existe ali um lapso de informação que seria necessário para ficarmos com o sentimento que aquilo que  “sentimos” corresponde ao que a autora teve em mente.

Não posso deixar de recomendar a leitura, é viciante do inicio ao fim, mas sinto que faltou algo…a minha veia de ligação com o sobrenatural espera sempre mais 😉

4star2

 

Mónica Mil-Homens

 

 

 

 

 

 

 

 

[Opinião] O Vale dos Malmequeres – de M. Lacroix – Chiado Editora

Chegou-nos ao correio esta surpresa por parte da Chiado Editora a quem agradecemos por se terem lembrado de nós, ainda meio incrédulos por termos sido agraciados com esta gentileza tratámos logo de ler a sinopse que nos deixou com curiosidade e vontade de pegar no livro. Por aqui consideramos um romance de história alternativa.

 

Autor: M. Lacroix
Data de publicação: Maio de 2017
Número de páginas: 436
ISBN: 978-989-774-199-9
Colecção: Viagens na Ficção
Género: Ficção

Sinopse:

Tal como uma árvore sem raízes não vinga, assim uma causa sem líder é inútil. Os jovens dos anos sessenta e princípios dos anos setenta foram obrigados a suportar sacrifícios incomensuráveis numa guerra colonial que os viria a marcar para toda a vida. A união que prevalecia entre eles quando regressaram à pátria, nunca surgiu com força capaz de fazer valer suas aspirações que não eram mais que o reconhecimento do martírio que haviam suportado. Faltou-lhes um líder. Alguém que unisse os elos da corrente tornando-a inconcussa. Alguém que abraçasse todos aqueles que numa desesperação aflitiva deixaram de acreditar na esperança, na vida. Este livro não fala sobre a guerra, antes descreve como teria sido tudo diferente se esse líder tivesse surgido. O romance além de espelhar uma multiplicidade de sentimentos conduz-nos a um mundo de esperança ainda que cientes das desgraças que possam advir.

O sonho necessita de dois ingredientes essenciais: vontade e determinação.

——————————————————–

Infelizmente sabemos pouco sobre o autor que julgamos ser um pseudónimo, tentaremos descobrir um pouco mais sobre o mesmo e descobrir de onde lhe veio a inspiração para esta obra.

Sendo o Gustavo ex-Militar dos tempos modernos mas interessado na História global, a primeira leitura ficou a cargo dele cuja a opinião damos a conhecer.

 

Opinião:

Com uma grande curiosidade para pegar nesta obra, fiz dela presença na minha mesa de cabeceira para aqueles finais de dia em que estamos cansados mas sem sono e sem paciência para futebois ou novelas.

Apesar de ter um tamanho considerável o livro é de uma leitura ligeira e agradável com um bom tamanho de letra que não cansa a vista, ressalva-se aqui e acolá alguns erros de formatação e parágrafos com espaçamento extra ou desenquadrado.

No inicio acompanhamos um ex-combatente a tentar localizar o grupo dos seus camaradas para realizar um convívio de reencontro passadas décadas desde a ultima vez que se viram.

Este grupo irá tornar-se no núcleo duro do enredo, iremos conhecer um pouco de cada membro que retrata milhares de ex-combatentes e como foi o desenrolar das suas vidas até aos nossos dias, o próprio grupo vai tentar unir-se para tentar ajudar todas as famílias da sua geração que de uma forma ou outra sentiram na pele as dificuldades do regresso dos veteranos de guerra.

Ao contrário de muitos livros que falam sobre a guerra do Ultramar e os ex-combatentes focando-se nos horrores vividos e sofridos ou analisando as causas e consequências desse mal este livro desde cedo é diferente no tom e no foco, apesar de não retratar por completo nem dar muito tempo de antena aos tempos da guerra, essa “nuvem” paira por cima dos personagens mas ao contrario do esperado, em vez de ter a carga negativa habitual, é a causa motivadora de todo o esforço e o suporte para o objectivo final, o bem estar da “família” de ex-combatentes, todo o livro se pauta por uma temática positiva, quase utópica, mas de uma forma tão coesa e verosímil que nos dá vontade de ir à procura deste grupo, arregaçar as mangas e ajudá-los nesta tarefa hercúlea.

Há momentos marcantes no livro, quer pelos detalhes deliciosos ou em contraponto pelo impacto que causa quer no leitor quer no próprio desenrolar do enredo.

Em poucas noites despachei a leitura tendo ficado com uma sensação “e se”… posso parecer parcial mas efectivamente a leitura deste livro faz-nos voltar a questionar certos valores que a sociedade tem como adquiridos mas que nos tempos que correm parecem ter sido corrompidos, alterados, perdidos… Fica a ideia de que o quadro que o livro propõe é bastante plausível e concretizavél mas acabando por concordar com a sinopse, falta um líder.

Aconselho vivamente a leitura desta obra e talvez um debate aberto não restrito aos ex-combatentes mas aberto a todos os ex-militares e à sociedade em geral.

Para mais informações sobre o livro podem consultar a página da Editora Chiado aqui onde está disponível quer para encomenda quer em eBook.

Mónica & Gustavo Mil-Homens

A Célula Adormecida – Nuno Nepomuceno – TopBooks

14484746_351433341861300_6829545023753246072_n

Editora: Topbooks, 2016.
Género: Thriller psicológico.
Páginas: 592.
Capa mole.

Livro em PRÉ-VENDA, disponível em qualquer livraria a partir do dia 26 de outubro

«Assim queira Deus, o Califado foi estabelecido e iremos invadir-vos como vocês nos invadiram. Iremos capturar as vossas mulheres como vocês capturaram as nossas mulheres. Vamos deixar os vossos filhos órfãos como vocês deixaram órfãos os nossos filhos.»

Daesh, o autoproclamado Estado |slâmico, 2014.

Em plena noite eleitoral, o novo primeiro-ministro português é encontrado morto. Ao mesmo tempo, em Istambul, na Turquia, uma jornalista vive uma experiência transcendente. E em Lisboa, o pânico instala-se quando um autocarro é feito refém no centro da cidade. O autoproclamado Estado Islâmico reivindica o ataque e mostra toda a sua força com uma mensagem arrepiante.

O país desperta para o terror e o medo cresce na sociedade. Um grande evento de dimensão mundial aproxima-se e há claros indícios de que uma célula terrorista se encontra entre nós. Todas as pistas são importantes para o SIS, sobretudo quando Afonso Catalão, um reputado especialista em Ciência Política e Estudos Orientais, é implicado.

De antecedentes obscuros, o professor vê-se subitamente envolvido numa estranha sucessão de acontecimentos. E eis que uma modesta família muçulmana refugiada em Portugal surge em cena.

A luta contra o tempo começa e a Afonso só é dada uma hipótese para se ilibar: confrontar o passado e reviver o amor por uma mulher que já antes o conduziu ao limiar da própria destruição.Com uma escrita elegante e o seu já tão característico estilo intimista e sofisticado, inspirado em acontecimentos verídicos, Nuno Nepomuceno dá-nos a conhecer A Célula Adormecida. Passado durante os 30 dias do Ramadão, este é um romance contemporâneo, onde ficção e realidade se confundem num estranho mundo novo e aterrador que a todos nós nos perturba. Um thriller psicológico de leitura compulsiva, inquietante, negro e inquestionavelmente atual.

É com algum atraso mas enorme alegria que escrevo este post. Mesmo estando um pouco afastados das leituras, esta é daquelas notícias que nos deixa com o bicho formigueiro e com um enorme sentimento de alegria por ter oportunidade de ler novamente algo escrito por um dos melhores escritores portugueses desta geração, Nuno Nepomuceno.

Nuno Nepomuceno, escritor da aclamada Trilogia Freelancer (com opinião aqui, aqui e aqui) consegue deixar o leitor completamente agarrado, entusiasmado e a ansiar por mais em qualquer um dos seus livros. O empenho, a qualidade de escrita e o sentirmos que parte de si mesmo está em cada linha faz do Nuno único, assim como à sua obra.

Podia continuar, mas cabe-nos a nós como leitores dizer-vos que apoiem os escritores portugueses e acima de tudo quebrem preconceitos. O Nuno Nepomuceno é o melhor autor do género Thriller/Espionagem português e está ao mesmo nível de muitos nomes conhecidos vossos internacionais.

Estou desejosa de o ter e quebrar as minhas férias sabáticas das leituras 🙂

Nuno, obrigado por teres ouvido os teus fãs!

Podem saber mais no website oficial do Nuno aqui e acompanhar o seu Blogue com todas as novidades sobre este seu novo projecto! Reservem já também o vosso exemplar!

Mónica Mil-Homens

 

Opinião – O Filho Dourado – Alvorada Vermelha 2 – Pierce Brown

01220131_Filho_Dourado

Título Original: Golden Son

Sinopse:

Nascido Vermelho, Darrow trabalhava nas minas de Marte, suportando a dureza do trabalho enquanto sonhava com um mundo mais justo, uma sociedade livre da intriga e dos jogos de poder. Os Dourados, que escravizam e oprimem os restantes, só podem ser derrotados por uma rebelião das castas. Mas para que tal aconteça foi necessário que Darrow se tornasse num Dourado e, uma vez infiltrado, promovesse a revolta. Neste tão esperado segundo volume da trilogia Alvorada Vermelha, Darrow, agora um Dourado, vê-se confrontado com novos desafios. O seu sucesso atrai inimigos terríveis que usam a intriga e a política como arma. Porém, Darrow está determinado a defender o amor e a justiça, ideais seguidos por Eo, apesar de se saber rodeado por adversários sem escrúpulos que pretendem eliminá-lo.

Opinião:

O livro já foi lido à algum tempo. Mas o sentimento de coração cheio e emoções à flor da pele continua.
Se achei Alvorada Vermelha do melhor que já li até hoje, este segundo volume da Trilogia ultrapassou tudo. Não há como descrever em palavras um livro que te faz rir, chorar, sentir frio na barriga, sentir impotente, amar e odiar tudo na mesma proporção.

Neste volume continuamos a seguir a história de Darrow, um jovem Vermelho que nasceu numa sociedade injusta, cruel e dominada pelos “Dourados”. Com ele, sempre fieis (será?) os amigos que fez ao longo de todas as suas aventuras enquanto “Dourado” e através de voltas e reviravoltas, somos conduzidos ao inicio da revolução das castas, a favor de uma Sociedade livre e justa.

É uma obra violenta, sem poupar a detalhes, tem autênticas cenas de batalhas bélicas com apontamos Scifi brutais (é um livro Scifi sem dúvida) e claro a continuação de uma história de amor e desgosto, de ódio e reconciliação.

Para mim, a personagem que mais mexe comigo é o Sevro. Sou completamente fanática por aquele duende ranhoso, sem um olho e que não diz nada sem um palavrão. Ele e o seu grupo de uivadores fazem da experiência de leitura uma avalanche de emoções e do mais bem construido que vi nos ultimos tempos.

Estou muito expectante pelo terceiro e último volume (já editado internacionalmente) e pela adaptação a filme desta aventura como há muito não se via. Os títulos que ganhou no Goodreads e afins são mais que merecidos e não consigo dar 5 estrelas porque o sentimento são de ziliões de estrelas. Gostei, gosto e vou ficar para sempre com estas personagens na mente e no coração!

Mónica Mil-Homens

Resultado [Passatempo Literatura Infantil] – Clara, a menina das cores de Hélder Reis – Chiado Editora

Boa tarde a todos! Com 172 participações o vencedor deste nosso passatempo dedicado aos mais pequenos é:

clara

108 – Margarida Maria Ribeiro Serrano

Muitos Parabéns! Em breve receberá o seu exemplar em casa!