Opinião “Encontro Mortal” – J. D. ROBB – Saída de Emergência

Sem Título2

 

Sinopse:

A tenente Eve Dallas é uma jovem polícia de Nova Iorque que se dedica ao trabalho de corpo e alma para fugir a um passado trágico que quer esquecer. Mas o passado teima em persegui-la quando um milionário é envenenado por uma mulher chamada Julianna Dunne.Eve reconhece logo esse nome: é o de uma mulher extraordinariamente perigosa que tinha prendido dez anos atrás. Ou seja, o assassinato foi apenas uma provocação: tudo o que a assassina deseja é rever Eve, num reencontro que ambas não esquecerão.A busca de Eve por Dunne leva-a a percorrer todo o país e a terminar em Dallas, Texas, a cidade que lhe deu o nome e a origem dos seus piores pesadelos. Apesar de amar o seu marido e confiar nos colegas e amigos, Eve teima em enfrentar o perigo sozinha. Mas conseguirá fazer frente a um passado que não a larga e a uma inimiga que conhece todas as suas vulnerabilidades?

Opinião:

E aqui vamos nós de novo para mais uma aventura da Eve Dallas e companhia. Eu confesso que sou uma fã acérrima da saga “Mortal” e não perco um. Sou sempre envolvida em toda a história e o carinho que tenho pelas personagens torna tudo mais prazeroso.

Este livro foi dos que menos me cativou de todos os que já li. É verdade. Não é que a história em si não seja boa, mas achei-a demasiado previsivel e quando ia a metade do livro já sabia mais ou menos como ia ser o final. Bom os finais vão geralmente dar sempre ao mesmo, a Eve e o Roarke levam tareia mas os maus da fita acabam sempre por ser derrotados.

A acção neste livro desenrola-se com dois casos distintos, um caso arquivado que a Peabody investiga sozinha pela primeira vez e um caso que a Eve vai ter que reviver, de alguém que ela já tinha prendido faz anos e saiu em liberdade única e exclusivamente com uma coisa na cabeça: vingança e sede de matar. Paralelamente e no decurso desse caso, a Eve tem que reviver o seu pior pesadelo, o voltar a Dallas, cidade onde foi encontrada em pequena após ter morto o pai à facada, em defesa dos anos e anos de abusos fisicos e psicológicos. Conta como sempre com o apoio incondicional do seu esposo Roarke, mas (e é a parte que achei mais interessante em toda a trama) conseguimos “sentir” a dor dela, o medo, a angustia, de reviver o seu passado traumático. Quase que conseguimos sentir a “humanidade” da Eve, aquela que ela tenta em todas as suas aventuras descartar de si. É reforçada também a ideia de casamento sólido, romântico e único da Eve e do Roarke. Convenhamos que eles são um casal simplesmente adorável e com uma relação de cumplicidade extraordinária.

Senti que neste livro existem mais descrições do que o necessário, ou seja, houve momentos que me deu vontade de saltar determinado parágrafo porque já não queria saber sobre determinado local e/ou pessoa.

No geral eu gostei, como sempre devorei de uma só vez o livro, mas não foi de perto o mais interessante (do ponto de vista da história em si) que li.

 

Para mais informações, podem consultar o website da Editora Saída de Emergência.

Advertisements

Posted on 5 de Julho de 2014, in Geral, Reviews. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: