Opinião – O Monstro de Monsanto de Pedro Jardim

o monstro de monsanto

Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 280
Editor: A Esfera dos Livros
ISBN: 9789896266424

Sinopse:

Uma rapariga encontrada morta na floresta de Monsanto. Um delicado vestido azul a cobrir o corpo. O cabelo cuidadosamente penteado. Uma máscara de papel branco com um poema de Florbela Espanca sobre o rosto. É este o cenário que Isabel Lage, inspetora da Brigada de Homicídios da Polícia Judiciária, encontra no local do crime. A primeira vítima de um serial killer que não deixa pistas, que habilmente se move pela floresta e que parece conhecer todos os passos da polícia. Isabel está apostada em resolver este mistério e fazer justiça em nome das mulheres que morrem às mãos de um assassino frio e calculista. Mas todas as pistas levam a João, o seu antigo companheiro de patrulha, e com quem partilhou mais do que aventuras profissionais. Pedro Jardim, chefe de polícia com experiência em investigação criminal, traz-nos no seu romance de estreia um thriller empolgante e arrebatador que nos prende até à última página. Pode haver um monstro em qualquer um de nós…

Sobre o autor: O autor nasceu em 1976 na cidade de Lisboa.
Aos nove anos de idade, os seus pais regressaram às origens e foi viver para Vila Viçosa.
Descobriu desde cedo nas artes, uma forma de vida. A escrita é algo emergente e aos pouco vai tomando parte da sua vida, é mesmo uma nova paixão.
Tem como habilitações académicas, a Licenciatura em Sociologia pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.
Crónicas do Avô Chico – Nostalgia da minha Infância no Alentejo é o seu primeiro livro, com o qual pretende dar a conhecer as gentes da terra, Vila Viçosa, e homenagear o seu avô materno Francisco da Silva Jardim, o Chico das Maravilhas.

 

Opinião:

Antes demais há que dar os parabéns ao autor pelo seu primeiro romance editado.  Portanto Pedro, parabéns.
Quanto ao livro, vou dar a (minha) opinião mais imparcial possível e isto porquê, perguntam vocês caros leitores? Porque este livro está envolto em polémica de opiniões, que honestamente a mim como leitora e blogger, nada abonam a favor tanto da comunidade de bloggers de literatura e cultura nem dos autores portugueses. Somos todos livres de opinar, mas há aquela linha que não se pode transgredir porque ninguém é detentor de verdades absolutas. E isto é válido para todos incluindo os autores.

Posto isto, e após ter ido ao lançamento do livro e ter ouvido o autor a falar sobre a sua obra, estava mesmo curiosa de o ler. Não é que tenha ficado com a expectativas goradas, até porque a minha experiência com thrillers é menor do que em outros géneros literários (já li a minha cota parte, mas não é o meu género de eleição) mas demorei a perceber a história/contextualizar a mesma.

Portanto encontramos de facto um Thriller diferente do habitual, onde a poesia se cruza com a narrativa e tornou-se muito interessante do ponto de vista da leitura. A introdução de Florbela Espanca é importante para distinguir a obra de todas as outras já escritas. A descrição pormenorizada dos cenários, da minha querida Lisboa, assim como a noção de como se processa todo o trabalho policial português agradou-me. Ao contrário de algumas opiniões, gostei do inicio do livro, apesar de que para Thriller a acção se desenrola de forma lenta. Sendo este o primeiro romance do Pedro há que dizer que existem sempre coisas a melhorar e neste caso, a história em si precisava de ser mais apimentada (apesar das cenas “quentes” presentes), com uma acção mais frenética de forma a cativar e despertar o interesse até ao fim. Foi dos primeiros livros que tive vontade de saber quem era o assassino, mas não com aquele grau de intensidade a que estou habituada. As personagens apesar de bem idealizadas e bem contextualizadas, pareceram-me sempre muito aquém daquilo que poderiam ser e pareceu-me que faltava ali qualquer coisa, um elo de ligação, principalmente quando descobrimos quem é o assassino e que honestamente não estava à espera mas também não me fez grande sentido.  Não me vou alongar porque não quero de todo ser spoiler.

Não é uma leitura de fácil compreensão (para mim não foi) e tive que voltar atrás algumas vezes para perceber a quem se referia (isto devido às três personagens com distúrbios de personalidade) o autor.  Isto pode eventualmente ser um percalço para alguns leitores mesmo para os mais experientes como eu,mas depende de pessoa para pessoa.

O conceito, a ideia, a manifesta vontade e trabalho do autor estão presentes, e julgo que numa continuação das aventuras da Isabel e companhia as coisas já irão estar mais definidas e algumas destas lacunas colmatadas. A revisão das gralhas encontradas (porque sim, existem gralhas) também é importante e fundamental para esse melhoramento, assim como termos mais acção, mais suspense e uma escrita mais corrente/acessível.

No geral, gostei do livro, dei-lhe 3 estrelas no Goodreads, não me arrependo de o ter adquirido, quem tiver oportunidade que o leia e tire as suas próprias conclusões, mas acho e tenho a certeza que o próximo será bem melhor 🙂

Mais uma vez parabéns Pedro, votos de muito sucesso 🙂

Mónica Mil

Advertisements

Posted on 21 de Março de 2015, in Geral, Reviews. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: