[Opinião] Batalha Entre Sistemas – de J. A. Alves – Chiado Editora

Antes de mais o nosso sincero agradecimento ao autor por nos ter permitido deliciar-nos com esta obra.

Numa visita a uma livraria da nossa praça este titulo tinha ficado já debaixo de olho quando alguns dias depois recebemos uma mensagem no Facebook a sugerir-nos precisamente este titulo, acto imediato fomos à procura de mais informações sobre a obra e fizemos a divulgação da mesma aqui.

batalha

Autor: J. A. Alves
Data de publicação: Maio de 2015
Número de páginas: 716
ISBN: 978-989-51-3556-1
Colecção: Viagens na Ficção
Género: Ficção

Sinopse:

Naquele momento, a Galáxia estava virada para os acontecimentos que sucediam entre os dois Sistemas estelares vizinhos, separados pelo deslumbramento de uma estrela encarnada e por uma devastadora guerra religiosa que já durava há algumas décadas. Constava-se que os eventos entre Sistema Encarnado e Cloud tiveram o seu génesis no momento da descoberta de um portal infernal, algures na zona de El’Kabur – o lado mais escuro do Universo, por conquistadores cloudeanos a mando dos seus ambiciosos ministros, libertando um exército de criaturas lideradas pelo Sem Corpo, um ser superior cuja maior ambição era conseguir um corpo físico que durasse uma eternidade e assim conseguir reconstruir o seu império, tendo Cloud como um dos seus objectivos.
Governado há tempos idos por uma casta de monges reis, que cultivavam a prática de uma antiquíssima religião pacífica, mas poderosa, que simplesmente denominavam como Disciplina, Encarnado enfrentava os seus próprios problemas. Idris, o atual monge rei, vê-se obrigado a abandonar o Sistema, deixando-o desfragmentado. Ele sabe que terá que sacrificar a esposa e os quatro filhos por um bem maior.

A luta entre a Luz e as Sombras não se fará esperar.

O Autor:

autor_j_a_alves

Nascido em Caracas (Venezuela) em 1972, J. A. Alves desde cedo entrou no mundo literário. Sendo um fã incondicional de Star Wars e colecionador de figuras, veículos e merchandising da saga. Foi mesmo com a novelização do filme de George Lucas que, aos 8 anos de idade, apanhou o gosto pela leitura. Para além de desenhar e pintar, também tem como hobbie o cinema, especialmente de ficção científica, fantasia e terror. Já fez parte de um grupo de danças latinas e o seu primeiro romance publicado em 2012, intitula-se La Dueña, Devoradora de Homens.

Página Oficial de Facebook do autor Aqui.

Opinião:

Antes de mais alguns avisos ao leitor incauto, o livro é GRANDE, cerca de 701 páginas de leitura em letra pequena, logo não é um livro para ler de empreitada e com iluminação deficiente, também aconselho a pré-formatar o seu cérebro para lidar com uma eventual tradução abrasileirada de um livro inglês por forma a facilitar a compreensão a acção narrada e saltar pelas diversas gralhas sem se deter na deliciosa leitura e imersão neste universo fantástico.

A narrativa inicia com uma pequena introdução à guerra que opõe os dois sistemas Cloud e Encarnado e salta para uma acção bélica clandestina por parte de uma pequena força Cloudiana. Para lidar com esta nova crise o Conselho de Encarnado reuniu-se mais uma vez sem a presença do seu monarca o Monge Rei Idris, Guardião da Disciplina a velha religião de Encarnado já quase esquecida em que os seus mestres eram capazes de incríveis proezas manipulando a luz.

A acção centra-se em volta da familia do Rei Idris, principalmente dos seus quatro filhos também eles dotados na arte da Disciplina, e dos objectivos do Imperador de Cloud, um ser demoníaco que tomou posse do corpo do antigo lider Cloudiano.

Ao avançar na leitura e sendo eu um fã da saga Star Wars começa a ser notório a inspiração desse Universo nesta obra, a viagem de treino do jovem Luke a Dagobah para o seu treino como Jedi Knight encontra paralelo na viajem do dois irmãos Aiwan e Veyle Jon até Telver, o planeta d’os belos. Há mais elementos que nos lembram o Universo de Star Wars, mas esses ficam para o leitor os descobrir.

Como personagem principais temos a pequena Saphie e a sua irmã Nickness filhas de Idris bem como Sisterool o demoníaco sem corpo.

Adorei a construção e evolução da personagem de Saphie, uma moça inteligente, super techie e mesmo assim muito meiga, fazendo-me lembrar alguém que eu conheço muito bem…

Os avisos que fiz no inicio da opinião são importantes pois de outra forma é complicado apreciar-se devidamente esta obra, carece de uma grande revisão caso venha a ser re-editada pois por vezes a nossa heroína passa de Saphie a Sofia e retorna ao nome original na mesma página, os termos de navegação inter-estelar confundem-se com os termos de navegação marítima bem como as respectivas designações de veículos. É verdade que para o publico nacional  o livro é um bocado grande e concedo que talvez tivesse beneficiado surgir dividido em duas partes, no entanto aconselho a leitura e que não se deixem abater  e insistam em ultrapassar o primeiro terço do livro pois a acção vai-se desenvolvendo num crescendo e termina num confronto em três frentes diferentes das duas forças opositoras com desfechos curiosos e sui generis, deixando no ar muito pano para mangas.

Dei quatro estrelas no Goodreads sendo que meia é uma aposta no futuro.

Fiquei curioso de que forma o autor irá resolver alguns “problemas” e que outras facções poderam surgir no futuro.

Para mais informações sobre a obra podem consultar o site da Chiado Editora.

Gustavo Mil-Homens

Anúncios

Posted on 10 de Novembro de 2015, in Editora, FC&F, Geral, Reviews and tagged , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: