Arquivos de sites

Opinião – O Filho Dourado – Alvorada Vermelha 2 – Pierce Brown

01220131_Filho_Dourado

Título Original: Golden Son

Sinopse:

Nascido Vermelho, Darrow trabalhava nas minas de Marte, suportando a dureza do trabalho enquanto sonhava com um mundo mais justo, uma sociedade livre da intriga e dos jogos de poder. Os Dourados, que escravizam e oprimem os restantes, só podem ser derrotados por uma rebelião das castas. Mas para que tal aconteça foi necessário que Darrow se tornasse num Dourado e, uma vez infiltrado, promovesse a revolta. Neste tão esperado segundo volume da trilogia Alvorada Vermelha, Darrow, agora um Dourado, vê-se confrontado com novos desafios. O seu sucesso atrai inimigos terríveis que usam a intriga e a política como arma. Porém, Darrow está determinado a defender o amor e a justiça, ideais seguidos por Eo, apesar de se saber rodeado por adversários sem escrúpulos que pretendem eliminá-lo.

Opinião:

O livro já foi lido à algum tempo. Mas o sentimento de coração cheio e emoções à flor da pele continua.
Se achei Alvorada Vermelha do melhor que já li até hoje, este segundo volume da Trilogia ultrapassou tudo. Não há como descrever em palavras um livro que te faz rir, chorar, sentir frio na barriga, sentir impotente, amar e odiar tudo na mesma proporção.

Neste volume continuamos a seguir a história de Darrow, um jovem Vermelho que nasceu numa sociedade injusta, cruel e dominada pelos “Dourados”. Com ele, sempre fieis (será?) os amigos que fez ao longo de todas as suas aventuras enquanto “Dourado” e através de voltas e reviravoltas, somos conduzidos ao inicio da revolução das castas, a favor de uma Sociedade livre e justa.

É uma obra violenta, sem poupar a detalhes, tem autênticas cenas de batalhas bélicas com apontamos Scifi brutais (é um livro Scifi sem dúvida) e claro a continuação de uma história de amor e desgosto, de ódio e reconciliação.

Para mim, a personagem que mais mexe comigo é o Sevro. Sou completamente fanática por aquele duende ranhoso, sem um olho e que não diz nada sem um palavrão. Ele e o seu grupo de uivadores fazem da experiência de leitura uma avalanche de emoções e do mais bem construido que vi nos ultimos tempos.

Estou muito expectante pelo terceiro e último volume (já editado internacionalmente) e pela adaptação a filme desta aventura como há muito não se via. Os títulos que ganhou no Goodreads e afins são mais que merecidos e não consigo dar 5 estrelas porque o sentimento são de ziliões de estrelas. Gostei, gosto e vou ficar para sempre com estas personagens na mente e no coração!

Mónica Mil-Homens

Anúncios

Resultado Passatempo de Aniversário – 2 Anos] – Uma Chama Entre as Cinzas de Sabaa Tahir – Editorial Presença

Boa tarde a todos! Sem mais demoras (que já foi alguma), e com 145 participações quem vai levar o livrinho para casa é:

2 aniversario_precenca_livro

66 – Dália Antunes

 

Parabéns!! Em breve receberá o seu exemplar em casa! Obrigado a todos pela participação!

Mónica & Gustavo Mil

 

[Passatempo de Aniversário – 2 Anos] – Uma Chama Entre as Cinzas de Sabaa Tahir – Editorial Presença

Olá a todos!!! É já no dia 9 DE MARÇO que fazemos 2 aninhos!!! Sim e tudo graças a vocês! A Editorial Presença, não quis ficar de fora das celebrações e em parceria com eles vamos então sortear por vós este miminho!

01220132_Chama_Entre_Cinzas

Sinopse:

Elias pertence aos Ilustres, as famílias da elite do Império. Desde os seis anos que treina na Academia Militar de Blackcliff para se tornar um dos soldados mais implacáveis ao serviço dos Marciais.
Laia pertence aos Eruditos, um povo oprimido pelo jugo firme dos Marciais. Quando o seu irmão é preso e acusado de traição, Laia procura a ajuda da Resistência. Em troca, tem de se infiltrar como escrava em Blackcliff.
Quando se conhecem, Elias e Laia percebem que as suas vidas estão interligadas — e que as escolhas de ambos podem mudar o destino do Império.

Sabaa Tahir cresceu no deserto de Mojave, na Califórnia. Devorava romances fantásticos, os livros de banda desenhada do irmão, e tocava guitarra. Começou a escrever Uma Chama entre as Cinzas enquanto trabalhava à noite na redação de um jornal. Atualmente vive em São Francisco com a família. Uma Chama entre as Cinzas integrou as listas de bestsellers do New York Times e USA Today, encontra-se vendido para 30 países e os direitos cinematográficos foram adquiridos pela Paramount.

Para se habilitar a este exemplar, basta que sigam os seguintes passos:

1 – Seguir o blog Biblioteca Mil e a Editorial Presença no Facebook.
2 – Partilhar este Post no Facebook (uma partilha por cada participação que fizerem). Não é obrigatório mas todas as partilhas e divulgação que nos fizerem é muito Bem-Vinda 🙂
3 – Podem participar uma vez por dia.
5 – Passatempo para Portugal Continental e Ilhas.
6 – O envio fica a cargo da Editora, não nos responsabilizamos por extravios/e ou qualquer tipo de situação com o envio do livro.

Basta enviarem um email para biblioteca.mil.gm@gmail.com com os dados acima pedidos e no assunto do email constar “ [Passatempo de Aniversário – 2 Anos] – Uma Chama Entre as Cinzas de Sabaa Tahir – Editorial Presença e ainda nome, email, partilha no facebook, nome de seguidor e morada para envio dos livros . O Passatempo termina às 23:59 do dia 15 de Março.

Será sorteado o vencedor através de Random.org nas participações válidas. Boa sorte a todos!

Mónica & Gustavo Mil-Homens

[Resultado] O Filho Dourado – Alvorada Vermelha 2 – Pierce Brown – Editorial Presença

Boa Noite a todos 🙂

Desculpem o atraso, mas estas últimas semanas têm sido de loucos..

Com 91 participações, o vencedor deste maravilhoso livro é:

O Filho Dourado – Alvorada Vermelha 2 – Pierce Brown – Editorial Presença

59 – João Paulo Pastaneira Mira

Parabéns João! Em breve receberás este livrinho em casa!

 

[Passatempo] O Filho Dourado – Alvorada Vermelha 2 – Pierce Brown – Editorial Presença

01220131_Filho_Dourado

Logo_2_web

Hoje temos um passatempo com a parceria da sempre querida Editorial Presença. Para se habilitarem a ganhar um exemplar deste livro, apenas têm que:

1 – Seguir o blog Biblioteca Mil e a Editorial Presença no Facebook.
2 – Partilhar este Post no Facebook (uma partilha por cada participação que fizerem).
3 – Responderem às seguintes questões:

a) Como se chama o protagonista desta trilogia?
b) Como foi considerado pelo Goodreads O Filho Dourado, o segundo livro da trilogia Alvorada Vermelha?
(Podem encontrar as respostas a estas perguntas aqui )

4– Podem participar apenas uma vez por dia.
5 – Passatempo para Portugal Continental e Ilhas.
6 – O envio fica a cargo da Editora, não nos responsabilizamos por extravios/e ou qualquer tipo de situação com o envio do livro.

Basta enviarem um email para biblioteca.mil.gm@gmail.com com os dados acima pedidos e no assunto do email constar “ [Passatempo] O Filho Dourado – Alvorada Vermelha 2 – Pierce Brown – Editorial Presença” e ainda nome, email, partilha no facebook, respostas às perguntas, nome de seguidor e morada para envio dos livros . O Passatempo termina às 23:59 do dia 28 de Fevereiro.

Será sorteado o vencedor através de Random.org nas participações válidas. Boa sorte a todos!

Mónica & Gustavo Mil

[Novidade Editorial Presença] – O Filho Dourado – Alvorada Vermelha 2 – Pierce Brown

01220131_Filho_Dourado

Logo_2_web

Título Original: Golden Son
Tradução: Miguel Romeira
Páginas: 480
Coleção: Via Láctea Nº 131
PREÇO SEM IVA: 18,82€ / PREÇO COM IVA: 19,95€
ISBN: 978-972-23-5765-4
Código de Barras: 9789722357654

Data de Publicação: 17 Fevereiro 2016

«MELHOR LIVRO DE FICÇÃO CIENTÍFICA DE 2015»
GOODREADS

• Bestseller do New York Times
• Segundo livro da trilogia Red Rising
• 4.7 estrelas na amazon.com
• 4.5 estrelas no Goodreads
• Direitos cinematográficos adquiridos pela Universal Pictures
• O primeiro livro da trilogia, Alvorada Vermelha, será adaptado para o cinema por Marc Forster

Sinopse:

Nascido Vermelho, Darrow trabalhava nas minas de Marte, suportando a dureza do trabalho enquanto sonhava com um mundo mais justo, uma sociedade livre da intriga e dos jogos de poder. Os Dourados, que escravizam e oprimem os restantes, só podem ser derrotados por uma rebelião das castas. Mas para que tal aconteça foi necessário que Darrow se tornasse num Dourado e, uma vez infiltrado, promovesse a revolta. Neste tão esperado segundo volume da trilogia Alvorada Vermelha, Darrow, agora um Dourado, vê-se confrontado com novos desafios. O seu sucesso atrai inimigos terríveis que usam a intriga e a política como arma. Porém, Darrow está determinado a defender o amor e a justiça, ideais seguidos por Eo, apesar de se saber rodeado por adversários sem escrúpulos que pretendem eliminá-lo.

Pierce Brown é um jovem escritor norte-americano formado em Economia e Ciências Políticas. O Filho Dourado, o segundo livro da trilogia Alvorada Vermelha, foi considerado pelo Goodreads o melhor livro de 2015 na categoria de Ficção Científica e encontra-se entre os mais vendidos do New York Times. Os direitos de Alvorada Vermelha foram vendidos para mais de vinte países e o primeiro volume da trilogia será adaptado ao cinema.

Mais sobre o autor em: www.pierce-brown.com

GÉNERO: Ficção e Literatura / Romance Fantástico.

PÚBLICO-ALVO: Jovem Adulto.

CITAÇÕES:

«Empolgante. Tanto o autor como a personagem principal elevam a fasquia emocional.»
Entertainment Weekly

«Absorvente. É inevitável comparar com Os Jogos da Fome e A Guerra dos Tronos.»
Kirkus Reviews

«Pierce Brown escreveu uma obra literária única e inesquecível.»
The Huffington Post

Para mais informações, consultar o website da Editorial Presença aqui.

Em breve teremos passatempo com oferta de um exemplar deste livro em parceria com a Editorial Presença 🙂

[Opinião] A Alvorada dos Deuses, Filipe Faria – Editorial Presença

Hoje trago-vos o ultimo livro do Filipe Faria autor da saga Crónicas de Allaryia também pela Presença.

 

 

filipe faria

Coleção: Via Láctea
Nº na Coleção: 129
Data 1ª Edição: 19/11/2015
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-5706-7
Nº de Páginas: 176
SINOPSE:
No inverno de 1477, Berardo de Varatojo, padre franciscano estigmatizado, viaja para a distante Thule (Islândia) em busca de respostas para a sua crise de fé. Contudo, acaba raptado por desconhecidos antes de as conseguir encontrar. Os seus captores afirmam ser deuses, os sete destinados a sobreviver a um Crepúsculo dos Deuses de que nunca ouvira falar.
Aqueles que Berardo toma por feiticeiros pagãos confessam-se numa encruzilhada, culpando o Deus cristão pelo seu dilema. Segundo eles, o franciscano é precisamente a chave para a sua salvação, embora ele não consiga sequer conceber como.
Porém, essa é a menor das preocupações de Berardo, que se vê constantemente atormentado por visões e pesadelos de uma era antiga… E os seus captores não foram os únicos sobreviventes do Crepúsculo dos Deuses.
Um mal antigo persegue-os até às entranhas fogosas de Thule, onde deuses e crenças se confrontarão. E, onde Berardo terá de pôr cobro a uma disciplina imemorial, com o destino da própria Humanidade em jogo.
OPINIÃO:
Antes de mais um agradecimento à Presença por nos ter facultado o livro, em segundo um pedido de desculpas ao Filipe Faria pois não levei três horas a “despachar” esta obra mas prometo que retornarei a ela em momentos futuros para novas leituras.
Por forma a enquadrar historicamente a época retratada e reforçar o excelente trabalho do autor faço aqui uma breve introdução ao período em que esta narrativa decorre.
1477 faz parte do ultimo quartel do Séc. XV no final da época medieval (ou Idade Média) numa altura em que se assiste a uma grande expansão do Cristianismo para fora das antigas fronteiras do grande Império Romano e o choque de culturas que dai adveio. De relembrar que o Norte da Europa e a zona Escandinava mal sofreram influências directas do Império Romano, pelo contrário, o Império é que foi sendo alvo de influências oriundas dos povos “germanos” que chegaram ao ponto de serem escolhidos para a guarda pessoal do Imperador e posteriormente através de invasão terem levado à queda do Império. Assim é natural que a cultura nórdica tenha perdurado e resistido além da Romanização, no entanto com tantos elementos Germanos incorporados no Império e a posterior cristianização dos diversos povos de origem Nórdica que se expandiram por toda a Europa chegando mesmo ao nosso canto à beira mar plantado. Chamo também a atenção que para o Homem Medieval todas a figuras mitológicas como Manticoras, Hipogrifos, Leviatãs e Unicórnios existiam e São Jorge matou efectivamente um Dragão em defesa de uma princesa. Assim toda a mitologia nórdica era considerada pagã e atemorizava o mais comum dos mortais razão pela qual muitos homens de fé faziam seu objectivo de vida levar a palavra de Deus aos mais recônditos e selvagens cantos da terra criando para isso verdadeiros bastiões do Cristianismo.
É em plena viagem com destino a um destes bastiões que vamos encontrar Berardo de Varatojo emerso em questões que põe em causa a sua fé para as quais procura respostas que estariam assentes numa cópia de um documento guardado na longínqua Thule. Berardo consegue chegar ao seu destino e inicia os seus estudos, paralelamente é acometido por uns sonhos/visões sobre uma realidade diferente daquilo que conhece e que provocam um agudizar dos seus estigmas.
Porem os seus pacatos dias de estudo são interrompidos e Berardo vê-se envolvido com um grupo de estranhos feiticeiros pagãos que culpam o Deus cristão por ter roubado os seus fieis e os ter lançado num limbo para o qual Berardo será a chave, inicia-se assim uma nova viagem onde é sempre confrontado com inverdades religiosas e uma suposta realidade sem nexo. Falam-lhe dos salões de Valhalla aos quais não podem aceder, do Ragnarok que é nada mais nada menos que o equivalente ao Armagedão  Cristão.
Nesta obra o autor retrata-nos a mitológica Asgard após o embate com o Cristianismo que se apoderou de lugares chave fechando assim as portas aos deuses de Asgard.
Adorei a obra que de certa forma me fez lembrar outras duas sagas interessantes que roçam de formas diferentes várias figuras da mitologia bem como o choque de culturas e as suas consequências, O Códice de Merlin de Robert Holdstock e as incontornáveis Brumas de Avalon de Marion Zimmer Bradley. Com uma prosa gráfica (ou não tivesse sido originalmente um guião de BD) e directa que nos leva a reanalisar a Cristianização do mundo conhecido de uma forma romanceada mas ao mesmo tempo bem vivida quase real.
Dei cinco estrelas no Goodreads e mantenho a classificação, pode ter demorado a ver a luz do dia, mas julgo que valeu a pena o esforço, parabéns Filipe.
Para mais informações sobre o livro podem consultar a página da Presença.
Um abraço a todos e boas leituras
Gustavo

[Opinião] The Young World: O Mundo Novo Chris Weitz – Editorial Presença

01220130_Mundo_Novo

Título Original: The Young World
Tradução: Rita Figueiredo
Páginas: 296
Coleção: Via Láctea Nº 130
PREÇO SEM IVA: 15,00€ / PREÇO COM IVA: 15,90€
ISBN: 978-972-23-5556-8
Código de Barras: 9789722355568

Sinopse:

Uma misteriosa doença assola a humanidade e os adolescentes são os únicos que conseguem sobreviver. Jefferson é o líder de Washington Square, uma tribo civilizada no meio do caos. Mas a descoberta de uma pista para a cura da Doença impele Jeff, Donna e mais três amigos à procura de respostas. Juntos, enfrentam o perigo numa viagem pelo desconhecido onde são perseguidos por animais selvagens, tribos cruéis e inimigos inesperados. Com eles, testemunhamos um cenário apocalítico em que a chegada à maioridade significa morte pela Doença. Haverá esperança para este Novo Mundo?

Chris Weitz nasceu no ano de 1969 em Nova Iorque. Formou-se em Literatura Inglesa no Trinity College, em Cambridge, e é produtor e realizador. Com o seu irmão, Paul Weitz, realizou e escreveu inúmeros filmes, nomeadamente Era uma vez um rapaz, em 2002, baseado no livro de Nick Hornby, o qual foi nomeado para o Óscar de Melhor Argumento Adaptado, A bússola dourada, em 2007, e Crepúsculo, Lua Nova, em 2009. The Young World: O Mundo Novo é o seu primeiro romance, adquirido para publicação em cerca de 20 países e conta já com os direitos cinematográficos comprados pela Warner Brothers.

 

Opinião:

Começo a ser suspeita nas minhas opiniões a estes livros cuja temática é o Fim do Mundo como o conhecemos, mas a verdade é que não me canso e é sem dúvida nenhuma o meu género de leitura de eleição.

Mais uma vez foi pegar no livro pela manhã de folga e acabar à noite. Porque não se consegue parar de ler e é simplesmente viciante a forma como toda a narrativa é conduzida. Existem todos os elementos das habituais Distopias/Mundos pós-apocalípticos e este livro não é diferente dos demais que já lemos, com toda a sua componente da sobrevivência do mais forte, de laços afectivos e de uma proximidade do que hipoteticamente nos poderia acontecer na realidade. Mas não é por ser semelhante aos demais que é menos interessante, pelo contrário.

Uma das diferenças que encontrei face ao que tenho lido, foi que o espaço temporal em que se deu o fim do Mundo (para adultos e crianças) é recente, fala-se em 2011/2012 e ao longo do livro temos uma ideia de como seria perder de repente além dos nosso entes queridos, tudo com o qual não sabemos viver agora. Até no Facebook se fala com nostalgia e carinho, do iphone, das roupas de marca. Uma doença desconhecida, levou adultos e crianças, deixando os adolescentes por sua conta e riscos. Mas só até aos 18 anos, idade em que a doença se manifesta e mata em muito pouco tempo, de forma cruel.

Este grupo protagonista do livro é um grupinho de miúdos adolescentes caricatos, todos muito diferentes mas unidos pelo instinto de quererem mais, de quererem descobrir o que lhes levou a vida tal como lhes era familiar. Numa Nova Yorque liderada por “Tribos” de miúdos rivais, o nível de violência é grande e só vão resistir os mais fortes e destemidos. Somos conduzidos pela sua aventura na exploração da cidade, fora da sua “praça” onde sabem que poderão triunfar ou perecer perante as ameaças. Num Mundo onde já não existem regras, mais uma vez as desigualdades sociais são determinantes para quem manda e para quem é mandado.

Adorei , adorei, adorei o livro e adorei a reviravolta final, ficando completamente em pulgas para ver a Editorial Presença lançar o próximo (que já saiu em inglês).

Recomendado a fãs de Distopias e de uma boa história cheia de acção e emoção.

Emirates-Airline-estrelas

Para mais informações consultar o website da Editorial Presença aqui.

Obrigado pela oportunidade de leitura!

Logo_2_web

Mónica Mil-Homens

[Divulgação Jan.16] The Young World: O Mundo Novo Chris Weitz – Editorial Presença

01220130_Mundo_Novo

Título Original: The Young World
Tradução: Rita Figueiredo
Páginas: 296
Coleção: Via Láctea Nº 130
PREÇO SEM IVA: 15,00€ / PREÇO COM IVA: 15,90€
ISBN: 978-972-23-5556-8
Código de Barras: 9789722355568

Data de Publicação: 7 Janeiro 2016

LITERATURA FANTÁSTICA PARA JOVENS

Bem-vindos a Nova Iorque, uma cidade governada por adolescentes

Direitos cinematográficos adquiridos pela Warner Brothers

Direitos vendidos para 19 países

Sinopse:

Uma misteriosa doença assola a humanidade e os adolescentes são os únicos que conseguem sobreviver. Jefferson é o líder de Washington Square, uma tribo civilizada no meio do caos. Mas a descoberta de uma pista para a cura da Doença impele Jeff, Donna e mais três amigos à procura de respostas. Juntos, enfrentam o perigo numa viagem pelo desconhecido onde são perseguidos por animais selvagens, tribos cruéis e inimigos inesperados. Com eles, testemunhamos um cenário apocalítico em que a chegada à maioridade significa morte pela Doença. Haverá esperança para este Novo Mundo?

Chris Weitz nasceu no ano de 1969 em Nova Iorque. Formou-se em Literatura Inglesa no Trinity College, em Cambridge, e é produtor e realizador. Com o seu irmão, Paul Weitz, realizou e escreveu inúmeros filmes, nomeadamente Era uma vez um rapaz, em 2002, baseado no livro de Nick Hornby, o qual foi nomeado para o Óscar de Melhor Argumento Adaptado, A bússola dourada, em 2007, e Crepúsculo, Lua Nova, em 2009. The Young World: O Mundo Novo é o seu primeiro romance, adquirido para publicação em cerca de 20 países e conta já com os direitos cinematográficos comprados pela Warner Brothers.

GÉNERO: Ficção e Literatura / Romance Fantástico.

PÚBLICO-ALVO: Jovens Adultos.

CITAÇÃO: «The Young World: O Mundo Novo está repleto de personagens inesquecíveis com uma história inovadora e alucinante.»
James Patterson, o autor com mais bestsellers do New York Times

Para mais informações consultar o website da Editorial Presença aqui.

Logo_2_web

Opinião – Os últimos na Terra – Robert C. O’Brien – Editorial Presença

01220127_Ultimos_Na_Terra_201510051738

Título Original: Z for Zachariah
Tradução: Paulo Emílio Pires
Páginas: 168
Coleção: Via Láctea Nº 127
ISBN: 978-972-23-5719-7
Data de Publicação: 7 Outubro 2015

FILME ESTREOU EM PORTUGAL
A 22 DE OUTUBRO

O FILME:

Trailer da adaptação cinematográfica:

Elenco: Margot Robbie (O Lobo de Wall Street), Chiwetel Ejiofor (12 Anos Escravo) e Chris Pine (Star Trek into Darkness)

O LIVRO:
3.7 estrelas na Amazon.com
3.6 estrelas no Goodreads

Direitos do livro vendidos para: Estados Unidos, Reino Unido Taiwan, China, Holanda, Japão, Coreia, Polónia,Tailândia e Itália.

Ann Burden tem apenas dezasseis anos e está completamente sozinha. O mundo como o conheceu já não existe, devastado por uma guerra nuclear que lhe levou todos aqueles que amava. Durante o último ano viveu num vale remoto, sem qualquer sinal de outros sobreviventes. Mas o fumo de uma fogueira distante quebra a solidão de Ann. Mais alguém sobreviveu e segue em direção ao vale. Quem será aquele homem? Quais serão as suas intenções? Poderá Ann confiar nele? Expectante e apavorada, Ann rapidamente compreende que podem existir coisas mais aterradoras do que ser a última pessoa na Terra.

Biografia: Robert C. O’Brien (1918-1973) nasceu em Brooklyn, Nova Iorque. Frequentou o Williams College e licenciou-se na Universidade de Rochester. Foi editor e escritor das revistas Newsweek, Pathfinder e National Geographic.É o autor dos livros juvenis The Silver Crown, A Report From Group 17 e Mrs. Frisby and the Rats of NIMH com o qual ganhou o prémio Newbery.Os Últimos na Terra, o seu último livro, ainda não estava concluído no momento da sua morte em 1973. Os capítulos finais foram escritos pela mulher e uma das filhas a partir das notas que o autor deixou, tendo sido publicado postumamente.Foi traduzido para mais de uma dezena de países e conta com uma adaptação ao cinema.

Opinião:

Este é daqueles livros que é para começar a ler e acabar no mesmo dia e assim foi (em apenas umas horas). É se tal forma interessante, empolgante e desafiante que nos deixa de água na boca para lermos. Num Mundo (ai como eu gosto disto!) devastado cuja população foi quase toda dizimada por uma terrível Guerra nuclear, Ann sente-se a única pessoa ainda viva e aprendeu a sobreviver com o (pouco) que a terra não contaminada ainda lhe dá. Mas tudo muda quando alguém aparece, alguém ao fim de tanto tempo sozinha. Somos quase impelidos a perceber se será a salvação de Ann ou se poderá ser a sua perdição. Numa reviravolta fantástica, um hino à sobrevivência do mais forte,  ficamos tocados e comovidos em como sobreviver se torna tão fácil mas ao mesmo tempo tão complexo. E o quanto devemos confiar sempre nos nossos instintos. Quando a morte está tão presente num livro é normal que nos emocionemos e que sejamos mais susceptíveis a sentir aquilo que estamos a ler.

Com uma escrita simples, uma narrativa corrida e de fácil interpretação, fiquei rendida a mais esta história sobre aquilo que um dia nos poderá vir a acontecer enquanto humanidade.

Infelizmente, após ler o livro fui com muita curiosidade ver se o filme valia a pena e não, não vale. Não tem nada a ver com o que li e isso desanimou-me muito 😦

transferir

Para mais informações consultar o website da Editorial Presença aqui, à qual agradeço mais uma vez a oportunidade desta leitura.